Colégio Santa Cruz

ENSINO FUNDAMENTAL 2

Figura 1 – Biblioteca e Espaço de Leitura

APRESENTAÇÃO

Etapa que compreende do 6º ao 9º ano, período que se aprofundam conhecimentos introduzidos no Ensino Fundamental I, bem como prepara o aluno para o Ensino Médio. Para isso, o estudante passa a contar com um número maior de disciplinas e professores especialistas em cada uma delas.

Essa etapa se caracteriza como um momento específico na vida escolar do aluno, a qual exige da escola a capacidade de atender, com carinho, às reais necessidades e às profundas transformações físicas e psíquicas dos alunos, ao longo dos anos escolares.

Aqui, o grande desafio dos professores é retomar e ressignificar os conteúdos vistos anteriormente, além de apresentar conceitos mais complexos, que serão importantes para a aprendizagem de novos conteúdos no ciclo seguinte. Nesse processo, buscam promover um aprendizado interdisciplinar e desenvolver no aluno a autonomia que será essencial não só para a continuidade dos seus estudos, mas também para a vida.

Proposta Pedagógica

Nesse período, o objetivo é desenvolver competências e habilidades, assim como ampliar o universo Cultural e Social do aluno, desenvolvendo o senso crítico, a iniciativa, criatividade e a responsabilidade, de acordo com as orientações emanadas pelo Conselho Estadual de Educação, que diz:

“Ao longo do Ensino Fundamental – Anos Finais, os estudantes se deparam com desafios de maior complexidade, sobretudo devido à necessidade de se apropriarem das diferentes lógicas de organização dos conhecimentos relacionados às áreas. Tendo em vista essa maior especialização, é importante, nos vários componentes curriculares, retomar e ressignificar as aprendizagens do Ensino Fundamental – Anos Iniciais no contexto das diferentes áreas, visando ao aprofundamento e à ampliação de repertórios dos estudantes. Nesse sentido, também é importante fortalecer a autonomia desses adolescentes, oferecendo-lhes condições e ferramentas para acessar e interagir criticamente com diferentes conhecimentos e fontes de informação.” (BNCC, 2018, p. 60).

Figura 2 – Armários dos alunos

Diante da importância da responsabilidade quanto a seguir uma linha pedagógica que possa nortear a atividade de sistematização dos conteúdos, nosso trabalho e estudos se pautam nos pressupostos da teoria histórico-cultural, na qual o papel do professor é planejar as situações didáticas de forma a tirar o aluno do espaço da aprendizagem que está consolidada, para desafiá-lo à resolução de novos problemas, novas questões e, consequentemente, novas aprendizagens.

Figura 3 – Aula de Educação Física na Quadra Poliesportiva

Todo nosso objetivo se pauta na busca e reformulação daquilo que o aluno já sabe e levá-lo a buscar conhecer aquilo que ainda não domina, aquilo que o professor considera significativo para a sua aprendizagem. Para isso, durante o ano, trabalhamos conteúdos escolares e, junto a esses, projetos interdisciplinares, cujo foco é ajudar a desenvolver a pesquisa, a autonomia e o pensamento crítico.

Enfim, com nossa proposta de trabalho, queremos assegurar o encantamento de seus filhos e filhas pelos estudos. Assegurar uma eficaz aprendizagem dos conceitos trabalhados em sala.

Competências Gerais da Base Nacional Comum Curricular

As competências gerais da BNCC, apresentadas a seguir, interrelacionam-se e desdobram-se no tratamento didático proposto para as três etapas da Educação Básica (Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio), articulando-se na construção de conhecimentos, no desenvolvimento de habilidades e na formação de atitudes e valores, nos termos da LDB.

  1. Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.

  2. Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a reflexão, a análise crítica, a imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas.

  3. Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural.

  4. Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, bem como conhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.

  5. Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.

  6. Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as relações próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade.

  7. Argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta.

  8. Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana e reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e capacidade para lidar com elas.

  9. Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza.

  10. Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.
VEJA TAMBÉM